Home / Dicas e Tutoriais / Linux Apricity OS – Review

Linux Apricity OS – Review

apricity-logo

É um novo sistema operacional baseado em Arch Linux com ambiente Gnome shell.
E ele chega trazendo muitos diferenciais interessantes.

Sua versão é a 12.2015 Beta, então, por não ser ainda a versão final, ainda não está livre de bugs.

Quer baixar para testar?

A ISO de instalação tem 1.8 GB o que denota que o sistema vem recheado de softwares.

Download Direto Torrent

Obs. Depois de baixado, sugiro gravar a ISO em um DVD, pois montar no pen drive particionado como FAT32 dá problema.

Então Vamos a Análise!

PRÓS – São Muitos.

1 – Usa como base o Arch Linux

Que traz leveza e rapidez e a praticidade de uma distro rolling release, ou seja, que sempre se mantém atualizada, mas sem a necessidade de fazer upgrades de versões.

2 – Kernel 4.3.x

Usa uma das versões mais atuais do kernel Linux, trazendo maior compatibilidade com os hardwares mais novos de mercado, e melhor performance.

screenfetch

3 – Ambiente Desktop Gnome 3.18.3-3

A beleza e facilidade de uso e diversidade de recursos do Ambiente Desktop Gnome 3. E melhor ainda em sua versão mais recente 3.18.
Veja neste outro artigo as Novidades do Gnome 3.18.

gnome3

4 – Muitas, muitas Extensões do Gnome

Um conjunto de extensões do Gnome 3 que adicionam diversas funcionalidades muito úteis e que deixam o desktop muito bonito também. Isso te poupa o trabalho de baixá-las e instalá-las manualmente como ensinei no artigo “As 20 Melhores Extensões Para Gnome Shell”

extensoes

Você provavelmente irá desejar personalizar algumas dessas extensões ativas, usando o Gnome-Tweak-Tool, como por exemplo a “Dash to Dock” que faz exatamente o que o nome dela sugere transformando a Dash em um Dock, lhe permitindo colocá-la na posição da tela que quiser, e no Apricity ela foi colocada em baixo, e eu gostei, mas inverti o local do lançador de aplicativos para o começo da Dock, e configurei o comportamento do clique sobre uma aplicação para que quando ela estiver aberta ela seja minimizada. Daí ficou como uma dock mesmo.

dash to dock

Abaixo o lançador no início da Dock.

dash to dock 2

Abaixo, minimizando o terminal com um clique no ícone.

minimizing

Você pode fazer esses tweaks em diversas extensões e habilitar outras conforme desejar.

5 – Uma excelente combinação de elementos visuais, de muito bom gosto mesmo:

  • Tema de ícones Apricity Icons – baseado em Numix Circle,
  • Tema de janelas Arctic Apricity – baseado no tema Arc,
  • Tema do Shell Arctic Apricity
  • Fontes bem largas que melhoram a leitura: Cantarell, Sans e Monospace, com suavização tipo grayscale.
  • Diversos Tweaks de aparência (como a barra superior transparente)
  • Compatibilidade com HiDPI, (graças ao Gnome 3.18), tornando a visualização da tela extremamente nítida no estilo “Retina” e sem problemas de resolução e com possibilidade de aumentar a escala das janelas..
  • Tema do Grub (gerenciador de inicialização) personalizado e muito bonito.
  • Excelente conjunto de wallpapers, (incluindo o wallpaper padrão presente no Elementary OS Freya, mais wallpapers do Gnome e outros adicionais.

Veja o que está instalado:

apricity pack

Veja os temas que estão definidos:

tema

fontes

arc
Arctic Apricity – Tema de janelas GTK+

LibreOffice
Tema de ícones Apricity Icons

Menu de Inicialização – Grub Personalizado

C360_2016-02-13-11-13-15-190

Imenso Conjunto de Wallpapers

[metaslider id=10031]

6 – Um bom conjunto de Apps Padrão Trazidos pelo Gnome entre outros:

Gnome Photos (Eye of Gnome), Gnome Calendar, Gnome Video (Totem), Gnome System Monitor, Gnome Screenshot, Visualizador de documentos PDF Evince, Visualizador de fontes do sistema, Archive Manager (File-Roller – gerenciador de arquivos compactados), Ferramenta de Logs do Sistema, Discos (gnome-disk-utility), e Leitor de Telas Orca. (Veja a lista completa aqui.)

7 – Um bom conjunto de Apps Adicionais:

  • Syncthing – Que faz a Sincronização de Arquivos entre plataformas. (comigo está bugado e não permitiu configurá-lo)
  • SBackup – Para fazer backup de seus dados.
  • Apricity-Terminal – É um fork (variação) do gnome-terminal. E usa o ambiente shell “zsh”, mas você pode mudar isso.
  • HP Device Manager – Para instalar e gerenciar seus dispositivos da HP.
  • Steam – Mostra o cuidado em se lembrar dos Gamers!
  • PlayonLinux – Mais uma vez o cuidado com os Gamers, e a possibilidade de rodar aplicativos do Windows.
  • GUFW – Firewall instalado e com regras simples configuradas para aumentar sua segurança.
  • Ice e Java – Te poupa da instalação do Java para acesso à sites a aplicações que o utilizam. E te permite rodar aplicações web em seu desktop com o manager para fazê-lo.
  • Flash Player e plugin – Plugin do Flash para te poupar de instalá-lo e navegar em sites que o utilizam como o Youtube entra tantos outros.
  •  Inkscape – Para desenho de vetores
  • Gimp – Editor de Imagens como o Photoshop.
  • Filezilla – Cliente de FTP
  • Suíte de Escritório LibreOffice com Writer, Calc, Base, Impress, Draw, e Math
  • Gnome Tweak Tool – Ferramenta de Personalização e instalação de extensões para o Gnome.
  • Transmission – Cliente de Torrent
  • TPL – Excelente para redução e melhor gerenciamento do consumo de energia de sua máquina e de bateria de seu notebook.
  • Cheese – App de Webcam
  • Rhythmbox – Player de músicas
  • Google Chrome – E já vem com um perfil criado pelo Apricity, e nesse perfil vem com alguns plugins instalados: Ghostery – (para navegar na internet sem deixar rastros), The Great Suspender (suspende abas inativas para economizar memória ram), e Push Bullet (para compartilhar links entre diversos dispositivos em que você usar o Chrome).

Chrome Personalizado – Plugins

chrome-plugins

Screenshot das Aplicações

aplicacoes1 aplicacoes2 aplicacoes3

8 – Instalação do Sistema

Processo de Instalação Facilitado pelo uso do Instalador muito semelhante ao do Ubuntu e bem personalizado, e com cores nos drives que facilitam a identificação da partição destino, caso esteja usando o particionamento avançado como eu.

9 – Configuração de Monitores Adicionais e Impressora

Este item eu realmente preciso dar um elogio. Ainda não sei se é por causa do Arch Linux, pois é a segunda vez que eu uso o Arch e não havia reparado nisso antes, ou se é por causa do pessoal do Apricity OS. Mas achei extremamente fácil realizar essa configuração, lembrando muito essa facilidade no KDE, e bem diferente do que acontece no Ubuntu-Gnome por exemplo, onde não é possível facilmente definir o monitor primário, nem ao menos reconheceu uma terceira tela conectada.

No Apricity, assim como no Elementary OS, conseguimos definir o monitor primário facilmente, e ele reconheceu as minhas três telas, e eu coloquei-as nas posições que eu desejava muito facilmente o que automaticamente moveu a barra superior e a Dash/Dock para a recém definida tela primária. Rápido e simples e funcional como deve ser!

tela telas2

Impressora

No caso da impressora, instalei uma Ricoh em rede, e funcionou muito bem, sem problemas nenhum e a página de testes saiu direitinho.

10 – Ótimo Desempenho

Analisei o desempenho do sistema ao medir o tempo de resposta ao abrir aplicações e isso em geral me impressionou. Um exemplo foi ao abrir o editor de imagens Gimp, que ao abrir, precisa carregar diversos componentes que oneram o tempo de duração até estar completamente aberto. No Windows esse processo é muito lento, levando até mais 8 segundos, no Ubuntu e derivados é bem mais rápido levando de 2 a 3 segundos, e no Apricity é quase instantâneo, levando apenas 1 segundo. E o sistema sem nenhum aplicativo aberto consome apenas cerca de 500 MB de memória ram.

Contras – O Que Faltou?

Aqui vou listar alguns problemas e ausências no sistema, mas vamos dar uma colher de chá, pois o sistema ainda está em seu release Beta.

  • Programas e Driver de Vídeo

    • Faltou vir com alguns programas adicionais, como um cliente de e-mail como o Mozilla Thunderbird, Evolution ou outro, mais navegadores Web como o Mozilla Firefox ou o Opera, um programa de screencast como o Kazam ou o record-my-desktop, ferramenta MTP instalada o que dá suporte a dispositivos móveis como smartphones (eu resolvi, mesmo instalando o pacote “mtpfs”), o player de vídeos VLC que roda tudo, (pois houve erro ao rodar um arquivo “.mp4” usando o player padrão Gnome-Videos, talvez por falta de codecs), gravador de DVDs Brasero, programa de chat como o Empathy ou o pidgin, Programa de acesso remoto como o Remmina ou o Vinagre.
    • Apesar de vir com muitas extensões do Gnome, algumas muito boas faltaram, tais como: Application Menu, Battery Percentage, Clipboard indicator, Drop Down Terminal, Lock keys, Worspace Indicator e OpenWeather. Essas estão entre as top 20.
    • Alguns aplicativos padrão do Gnome 3.18 como o Weather (Metereologia), o Gnome-Music, o Gnome-Boxes (de máquinas virtuais) e os novos “ToDo” e “Characters” (emojis), Gnome-Calendar, não vieram instalados, (muito estranho), além da coleção de games do Gnome, e tudo isso precisa ser instalado depois de instalar o sistema.
    • Sistema não está usando a placa de vídeo offboard da NVidia, apresentando como GPU reconhecida pelo sistema apenas o processador gráfico de minha cpu Intel. Os gráficos rodam bem, mas com desempenho é bem menor do que seria se utilizasse minha placa NVidia. Isso é contraditório, já que o sistema vem com o app da Steam e Playonlinux, ou seja, se preocupou com o público gamer, mas esqueceu-se de instalar os drivers das placas de vídeo. 😛 Achei uma ajuda aqui, mas ainda não testei. Faltou um aplicativo chamado “Driver Adicionais” como no Ubuntu, que permite (em caso de não instalar os drivers na instalação do sistema), instalá-los depois.
    • Uma Loja de Aplicativos, com sugestões, imagens, slideshow e etc, como no Ubuntu. Mas esta está em construção.
  • Tweaks Faltando

    • Ícones na área de trabalho (pasta pessoal e lixeira) muito grandes (foram adicionados através do Gnome Tweak Tool), por isso, desativei esta opção de mostrá-los.
    • Faltou Configurações de Hot-Corners e disponibilizados no painel de configurações.
    • Documentos padrão ainda não vem bem configurados. Exemplo: Quando você vai abrir um arquivo de imagem png, ou um documento PDF, ao invés de abrir com o Visualizador de imagens ou o Visualizador de Documentos, ele abre com o Gimp. Mesmo mudando o programa padrão para o desejado, ele não relembra.
    • E a opção de minimizar com um clique um aplicativo aberto na dock, como mostrei no começo do post.
  • Bugs

    • Ainda existem alguns, mas o único que realmente preocupou foi o app “Adicionar/Remover Programas” e o “Atualizações dos Programas” terem parado de funcionar após o primeiro update e não abrem mais. Existe a solução na própria página do Apricity, na sessão “Bugs”. Sem solucionar, tem que instalar ou remover programas apenas usando o terminal. Eu já apliquei a solução e funcionou. Como o sistema é bastante novo, com certeza irá amadurecer e melhorar nos próximos updates.

“…Quase Pronto” – (Sobre a Loja).

store

“…Depois de muito custo” – Taí o celular com Android reconhecido.

Captura de tela de 2016-02-18 08-20-12

Conclusão

Com certeza o Apricity OS é um excelente sistema operacional, e que foi montado com muito cuidado visando atender os usuários em diversos quesitos, nas funcionalidades, escolha do ambiente desktop, temas de ícones, janela, fontes, wallpapers, extensões e aplicações adicionais. Ele vem muito populado de aplicações essenciais e muito úteis e te poupa um trabalho de instalação das mesmas. Ele é muito rápido e se mostrou estável por ser baseado em Arch Linux.

Pode parecer que ele veio para competir com o Elementary OS (confira o review aqui), (porque ele também é muito bonito e vem com o wallpaper padrão parecido com um dos presentes no conjunto do Elementary OS Freya e a barra superior também é transparente). E eu não acredito que eles sejam competidores, pois o Elementary é mais maduro além de ser mais do que apenas customizações visuais, pois possui um conceito próprio de janelas, o HIG (Human Interface Guidelines), no desenvolvimento de Apps, possui Apps próprios desenvolvidos exclusivamente para ele, possui um Ambiente Desktop próprio, o Pantheon, desenvolvido para ele, e recheado de funcionalidades exclusivas, suas personalizações são um pouco mais abrangentes como percebemos desde o boot, tela de login (que é fantástica), e assim por diante. (confira na Wikipedia sobre o Elementary OS). Além de ser mais estável, pois só é lançada uma nova versão do Elementary OS quando ele está totalmente pronto e sem bugs, e baseada em versões estáveis LTS do Ubuntu, então ele é muito estável, e possui toda essa identidade própria. Um teste que pode ser feito para ver como um difere do outro é, se você buscar o nome do sistema, (com o comando “uname -a” ou se tiver instalado o “screenfetch” e rodar o comando “screenfetch”), não aparecerá que ele é um “Ubuntu” ou “Debian” (no qual se baseia), e sim “Elementary OS Freya”. Mas claro que sabemos que ele se baseia em versões estáveis do Ubuntu e se beneficia dos repositórios de softwares do mesmo.

Aliás, no mundo Linux as melhores distribuições vieram baseadas nas precursoras como o Debian e Red Hat, e não há nada de errado nisso, mas é mais interessante quando a distro cria sua própria personalidade e algumas foram além, criando uma estrutura de TI para testar versões de softwares compatíveis com as bibliotecas de cada versão do sistema operacional, como é o caso do Ubuntu (baseado em Debian). E por conta disso, tantas distros surgiram baseadas em Ubuntu ou Debian por se beneficiarem dessa estrutura de TI e seus repositórios, o mesmo com Fedora e CentOS (baseado em Red Hat), openSUSE (baseado em SUSE Enterprise), Sabayon (baseado em Gentoo), Manjaro (baseado em Arch também), Linux Mint (baseado em Ubuntu e depois em Debian), e etc. Essas distros criaram sua própria identidade, logomarca, temas de ícones, temas GTK, esquema de cores, fontes, conjunto de softwares, correções e ajustes de funcionalidades do sistema operacional, forks de aplicações, e até próprio ambiente desktop (também muitas vezes fork de outros ambientes) em alguns casos como o Ubuntu com o Unity ou o Mint com o Mate e o Cinnamon, o Elementary com o Pantheon e etc.

Já no Apricity OS, a intenção não é um projeto tão grande e ambicioso, mas sim apenas um sistema realmente feito a partir de outro e com algumas customizações, mas começando a ganhar personalidade, com um tema de ícones e janelas próprios que levam o nome da distro, esquema de fontes próprio que ficou muito bom e dá para perceber que foi bem pensado, tema do Grub próprio e extensões e configurações do Gnome shell bem pensadas também. Por isso volto a repetir que “a montagem ficou muito boa”. E torço que evolua mais.

Lembrando que sua versão é a 12.2015 Beta, então, por não ser ainda a versão final, ainda não está livre de bugs.

É um sistema que eu recomendaria, e pode talvez em breve, entrar na lista dos meus sistemas principais como um Arch Linux, ao lado do openSUSE, Debian, Elementary OS, Sabayon, Ubuntu e etc.

É isso aí, espero que tenham gostado do review, que acredito que foi bem minucioso.

Siga-nos no Face, Twitter, Google+ ou via RSS!

Abraços,

Cleuber

About cleuberadmin

Cleuber Silva Hashimoto. Administrador

8 comments

  1. Excelente page Cleuber! Realmente trabalho de um expert! Parabéns.

    • cleuberadmin

      Baixe a ISO, grave em um DVD, entre na BIOS de sua máquina, defina a ordem de boot para que a unidade de DVD seja a primeira, reinicie a máquina com o DVD dentro e comece a instalação. Se for a primeira vez que estiver fazendo isso, recomendo que use uma máquina de teste sem dados nela, para que possa, durante a instalação formatar o disco todo e instalar o sistema. 😉

  2. Está demorando muito para sair a versão final do sistema vc sabe se tem alguma previsão exata para isso.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

x

Check Also

Como Jogar Clash Royale no Linux com o Genymotion

Olá pessoal, aqui uma nova dica ...